terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Associações no Brasil.


ONGs (Organizações não Governamentais) 

As ONG’s (Organizações não governamentais) são organizações formadas pela sociedade civil sem fins lucrativos e que tem como missão a resolução de alguns problemas da sociedade, seja ele econômico, racial, ambiental ou ainda, a reivindicação de direitos e melhorias além, de ajudarem na fiscalização do poder público.
As organizações da sociedade civil são uma forma de suprimir as falhas do governo com relação à assistência e resolução dos problemas sociais, ambientais, de classe e até mesmo econômicos podendo também auxilia-lo na resolução desses problemas.
As organizações têm ainda a capacidade de despertar o civismo e a cooperação social nos seus participantes. Constituindo uma forte ferramenta de mobilização social, as organizações da sociedade civil contribuem para a manutenção da democracia uma vez que possibilita a manifestação dos interesses das minorias. Comprovadamente, qualquer pessoa que integre alguma organização civil possui maior consciência política e é mais participativa nas questões que envolvem decisões públicas e/ou afetem a sociedade como um todo mesmo que o fim de tal organização não seja político.
No Brasil e principalmente, no caso envolvendo Bombeiros Civis é praticamente impossível Um trabalho coletivo e em nível nacional. levando em conta, a inexistência de um órgão Nacional Criado através de lei Federal. já que sindicatos, são atuantes dentro de suas respectivas regiões e praticamente restritos a mão de obra ativa. Já as associações neste caso, possuem margem para um trabalho mais abrangente criando a possibilidade de expansão reivindicatória em vários estados.
Como todos Sabem, a desorganização aliada ao desconhecimento das atividades e entidades associativas abriram margem, para diversas deturpações principalmente, as proferidas irresponsavelmente por pessoas e entidades que se aproveitam da fragilidade existente para lucro pessoal. algo vem atrapalhando a muito tempo, o desenvolvimento organizacional através da desinformação proferida junto a classe em detrimento de seus interesses.
Muitos falam, opinam e contestam porém, poucos conhecem a importância, das associações de classe junto as lutas no processo democrático deste País.
Mesmo não possuindo caráter normativo ou regulamentador. as atribuições e legitimidade de representação das associações estão previstas, na constituição Federal. algo que muito contribuiu para diversos avanços junto as categorias profissionais. Sendo que no Brasil, as organizações não governamentais sem fins lucrativos ganharam força à partir do processo de redemocratização política que se deu após o período da Ditadura Militar (1964-1985). Mas foi a partir da década de 90 que surgiram as principais organizações não governamentais no país como o Instituto Ethos (1998) e a Rede de Ong’s da Mata Atlântica (1992) que reúne cerca de 312 instituições em 16 estados o que mostrou a força, da reivindicação coletiva das entidades organizadas e que através desta, muitas outras entidades saíram do papel e foram criadas.

A verdade é que a categoria de Bombeiros Civis é essencialmente uma profissão que une técnica, ciência e muito estudo. 
Técnica, mas que não prepara o profissional para as mudanças mercadológicas. O que fazer então? Deixar que o que pode ser melhorado espere soluções de extrema urgência caírem do Céu? até quanto? Essa tendência, colocaria um fim em qualquer classe e a tendência seria a de acabar justamente pela falta de ações.É nesse cenário que cresce a importância das associações de classe, capazes não apenas de identificar os principais problemas do setor que representam, como também de propor ações efetivas para solucioná-los dentro de sua esfera e legitimidade constitucional embasada no artigo 5º Constituição Federa Capítulo I
I - DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS (ART.5º) XXI da CF 1988.
No que se refere a nossa categoria em especifico, a Febrabom do RS tem representado os interesses da classe junto a diversos órgãos principalmente, junto ao poder público expondo-se em vários setores e sinalizando que existe um grupo organizado que está atento à degeneração da profissão de Bombeiros Civil e que quer evitar a sua progressão. E todos podem colaborar. Um grande passo é associar-se, sugerir ideias e ajudar a construir uma entidade de classe melhor e muito mais Forte. É sabido que grupos maiores têm maior poder de barganha, maior influência, maior possibilidade de serem ouvidos e de fazer pressão. É fato que a mobilização da classe se mostra mais forte por meio das Associações, que devem ter, apesar da diversidade dos seus associados, unanimidade de ideais, força representativa e credibilidade nas suas ações.


A febrabom RS acredita na otimização de suas ações a partir da participação ativa e coletiva dos seus associados. Por meio de uma gestão participativa, tem-se uma maior legitimação na representação dos interesses da classe. Mas, para isso, é preciso que todos ajam e estimulem a ação “individual com fins coletivos”, associando-se, transmitindo suas ideias e buscando o crescimento do quadro associativo de forma firme, forte e coletiva.