quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Câmara de Cabrália Paulista rejeita transformar os bombeiros civis em socorristas.

Prefeito de Cabrália Paulista chegou a pedir a retirada do projeto de lei da pauta, mas vereadores rejeitaram o requerimento nessa terça (17) à noite.
Seguindo parecer do jurídico, a Câmara de Cabrália Paulista (45 quilômetros de Bauru) rejeitou nessa terça-feira (17) projeto de lei da prefeitura que pretendia transformar o cargo de bombeiro municipal em motorista socorrista municipal. À tarde, o prefeito Zequinha Madrigal (PTB) chegou a pedir a retirada do texto da pauta de votação, mas o requerimento foi rejeitado por quatro votos a três.
A tentativa de readequação do cargo tem como pano de fundo uma questão mais complexa, que envolve o futuro do Corpo de Bombeiros na cidade. De acordo com o prefeito, um convênio assinado entre o Estado e o município no final de 2012 previa a disponibilização de um bombeiro militar para ministrar palestras e formar uma brigada civil de combate a incêndios em Cabrália Paulista.
Madrigal conta que, na ocasião, o Executivo abriu concurso público e contratou cinco bombeiros civis, que passaram a atuar juntamente com o militar. "Os bombeiros queriam que a prefeitura criasse uma taxa de bombeiro, como tinha em Bauru", diz. "Quando eu assumi, não havia sido criada a taxa ainda". Por quatro anos, a prefeitura reservou verba do orçamento para manter o serviço.
No início do ano, o prefeito informou a corporação sobre a impossibilidade de criação da taxa em razão da sua inconstitucionalidade. Segundo ele, em junho, o Estado retirou caminhão e ferramentas que estavam na base dos bombeiros e, desde então, o trabalho da equipe ficou prejudicado. Com a mudança no cargo, ele pretendia reaproveitar os bombeiros municipais na área da saúde.
Com a rejeição da retirada do projeto pela maioria, parecer do jurídico da Casa pela inconstitucionalidade e ilegalidade do texto seguiu para votação e foi aprovado por unanimidade. O presidente da Câmara, João Martins Junior (PSDB), alegou que o projeto vinha tramitando desde julho e que a população quer os bombeiros na cidade. "Falta de tempo o prefeito municipal não teve", declarou.
ALTERNATIVAS
O chefe do Executivo informou que irá conversar com empresários locais e pedir a doação de caminhão-pipa para formar uma brigada municipal que atenda apenas Cabrália Paulista. Antes, porém, pretende mobilizar prefeitos de cidades da região visando à formação de uma espécie de consórcio regional para tentar manter os serviços dos bombeiros de forma compartilhada. "Não é justo ficar a despesa só para Cabrália", argumenta.
De acordo com ele, a base de Cabrália Paulista atendia também Duartina, Lucianópolis, Paulistânia e Ubirajara. Em audiência pública no fim de agosto, os bombeiros revelaram que, entre 2013 e 2016, a unidade realizou 720 atendimentos na cidade e outros 168 na região. A reportagem tentou ouvir o Corpo de Bombeiros por meio da assessoria de imprensa da Polícia Militar (PM), mas não houve retorno até o final dessa terça-feira (17). 
fonte: m.jcnet.com.br
CURTA NOSSA PÁGINA
FILIE-SE AGORA!