terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Coronelismo.

No ano de 2017 lutamos em quase todas as frentes para vencermos uma barreira imposta pelos gestores públicos das entidades estaduais corpos de bombeiros militares. Diante deste feito fechamos o ano 2017 dividido entre vitórias e derrotas, as vitórias ocorrerão mediante as lutas travadas por cada bombeiro civil, as derrotas poderia ser evitada se mais companheiros estivessem na luta contra o desmando dos coronéis. A exemplo deste desmando que ocorreu em 2017 foi uma matéria publicada no site; WWW.BOMBEIROSDF.COM.BR. Esta matéria é um absurdo, porque gera engano ao público. O jornalista enaltece de forma heróica o Corpo de bombeiros de Minas Gerais por ter conseguido aprovar a PL3862/2016 de origem do então governador Fernando da Mata Pimentel, esta PL é o maior absurdo já votado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O jornalista que editou esta matéria não tem compromisso com o seu leitor ou realmente não tinha conhecimento do que escreveu. 
Quando o jornalista enaltece o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais ele não conhece a realidade do segundo maior estado do Brasil em questões de segurança contra incêndios, vamos fazer um comparativo simples; O estado de Minas Gerais é o segundo maior estado do Brasil a nível de população 21.119 milhões de habitantes, número de municípios 853, efetivo de bombeiros militares 5.500 mi. Isto mostra que o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais não tem efetivo para gerar a segurança da população, A região metropolitana de Belo Horizonte tem 5,9 milhões de habitantes isto representa quase duas vezes o número de habitantes de todo o Distrito Federal. O DF tem 3.039 milhões de habitantes, 31 regiões administrativas, efetivo de bombeiros militares 5.900 mil com este comparativo básico os leitores vão entender que a matéria publicada no site: WWW.BOMBEIROSDF.COM.BR e mentirosa e colabora com a insegurança de toda a população. 
Vivemos em um momento critico na vida econômica do nosso estado. Minas Gerais ultrapassou o limite de gastos públicos com pessoal e agora tem que cortar gastos isto indica que o governo não pode contratar mais efetivo principalmente para bombeiros no estado, sem relatar que servidores estão recebendo os seus salários parcelado. 
Complicadores no aumento de efetivo dos corpos de bombeiros militares: 
01 - Emenda constitucional 95/2016 
Art. 106. Fica instituído o Novo Regime Fiscal no âmbito dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, que vigorará por vinte exercícios financeiros, nos termos dos arts. 107 a 114 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. 
Inciso V 
V - realização de concurso público, exceto para as reposições de vacâncias previstas no inciso IV; 
Isto indica que o governo tem que reduzir o gasto com pessoal durante 20 anos, e para isto só poderá abrir concurso para reposição de quadros de funcionários se acontecer morte ou aposentadoria do servidor. 
02- RE nº 643.247 julgado pelo STF que reconhece a inconstitucionalidade da taxa de incêndio. 
Dê acordo RE acima citado os corpos de bombeiros não poderão mais cobrar a famosa taxa de incêndio, o dinheiro da taxa de incêndio é utilizada para a manutenção das unidades do Corpo de Bombeiros Militar. 
No cenário atual o governo tem que cortar gastos e o STF através do RE nº 643.247 reconhece a inconstitucionalidade da taxa de incêndio, se todos os empresários requerem os seus direitos, esta verba vai faltar aos cofres do governo, o que vai aumentar os gastos públicos, e realmente vai causar a falência de todos os corpos de bombeiros. Temos um estado quebrado um corpo de bombeiros que tenta sobreviver e um jornal mentiroso WWW.BOMBEIROSDF.COM.BR. 
Diante deste cenário os bombeiros civis não pode ficar parados acreditando que esta tudo perdido, em 2018 a luta continua e queremos a participação de todos nesta batalha para garantir o nosso direito. 
Handerson Fabio