sábado, 24 de março de 2018

Bombeiro Civil Como Representante Politico legitimo da Categoria.

O voto e Representação Prevencionista como ferramenta de mudança: 

O amadurecimento como classe profissional passa necessariamente, pelas escolhas politicas que realizamos. Haja vista, as lacunas deixadas politicamente através da lei 11901 de 2009 que deixa a cargo dos estados e municípios a implementação ou não da mão de obra prevencionista. 
Mesmo completado recentemente 09 anos desde sua promulgação. A lei 11901, que versa sobre a profissão sofre além do descaso a penalização pelo fator dado ao desconhecimento sobre tema. Fato este, que mesmo não admitido pelos legislativos contribui com a morosidade nas demandas de interesse politico preventivo. 
Sob a alcunha em ser um braço preventivo em auxilio as corporações militares e atuando de forma privada com custeio de formação Paga do próprio bolso. A atividade sofre insistentemente com o gritante desconhecimento e distorção de sua finalidade além, das inúmeras tentativas de controle e submissão absoluta de seus profissionais. O que sem duvida nenhuma, acaba por prejudicar seu desenvolvimento Pleno em grande parte País. 
Selfie, Promessas e Tapinha Nas Costas: 
A já visível e incontestável tentativa de controle da atividade tornou comum, o fato de termos em alguns lugares do Brasil projetos prevencionistas aceitos e protocolados, mas que, no entanto acabam: engavetados, modificados, muitas vezes inconstitucionais, vetados ou a desistência instantânea sem justificativa plausível por parte de seus proponentes. 
Algo que só reforça a necessidade prevencionista na política. 
Atentando diretamente para o ângulo representativo, teremos a noção exata do quanto à profissão esta ligada as questões politicas e o quão se faz extremamente necessário, a fomentação e preparação de representantes políticos genuinamente Bombeiros Civis. 
Fica claro e evidente, diante do panorama atual que o fortalecimento da profissão Bombeiro Civil em todo o Brasil, passa diretamente, pela representação direta de integrantes da categoria em todas as esferas de representação politica. Toda via, enquanto isso não acontece é prudente aos pertencentes a categoria a escolha, de candidatos engajados, comprometidos e conhecedores da causa bomberil e que acima de tudo, não se submetam a pressões ilegítimas comuns diante principalmente, da apresentação de politicas voltadas à categoria prevencionista em âmbito federal, estadual e municipal. 
Uma boa escolha politica, pode trazer bons resultados e a arma que temos para que isso aconteça é o voto. 
Valorize o seu! 
Jornalismo e comunicação Social Febrabom RS: Júlio Valencio 
Coordenador Da Região Sul do CNAP: (Comitê Nacional de Assuntos Políticos Febrabom)