terça-feira, 27 de agosto de 2019

Bombeiro Civil no Brasil: Os Prejuízos da Desinformação.

Segundo o Dicionário, a Desinformação é a utilização das técnicas de comunicação e informação para induzir a erro ou dar uma falsa imagem da realidade, mediante a supressão ou ocultação de informações, minimização da sua importância ou modificação do seu sentido. 
Desde a Promulgação da lei 11901 em 2009 a atividade desenvolvida pelos profissionais preventivos do Brasil, que neste ano completou 10 anos nunca teve em sua curta trajetória de existência, tantos fervorosos Representantes, defensores, lideranças, revolucionários defasados e sem projetos, entidades de credenciamentos, escolas duvidosas, instrutores despreparados e tanta desinformação. 
Esta vasta gama de aspectos negativos que surgiram ao longo dos anos dentro do meio prevencionista brasileiro, no entanto esqueceu-se de um detalhe primordial de extrema relevância que seria: 
“Trabalhar ações práticas de desenvolvimento e a informação de forma correta, direta e precisa seria primordial pois desta forma, fomentaria a união e o real crescimento entre todos!” 
O valor agregado que retrata a importância e valorização de uma categoria profissional onde o reconhecimento de sua importância se dá pelo reconhecimento da sociedade não se reflete, dentro da atividade Bombeiril pela falta do trabalho organizacional com base em metas e resultados estabelecidos de desenvolvimento. 
Entender a necessidade de ações vinculadas ao desenvolvimento do Bombeiro Civil e principalmente, apoiar quem as realiza independente, de sua magnitude, sem julgar ou criticar quem fez onde fez, mas sim no foco determinado seria um dos primeiros passos em direção a união tão proclamada porem, pouco exercitada entre alguns integrantes desta tão nobre profissão. 
Seria auspicioso, que estas inciativas digam se de passagem, raras e importantes fossem apoiadas e incentivadas para que outras a pessoas as multiplicassem em outros locais para a continuidade do objetivo principal direcionado ao desenvolvimento.
  
Lembre Se: “A crítica é o imposto que a inveja cobra do mérito.”
Henrique de Lévis, Duque de Ventadour
Porque a informação deveria ser mais bem trabalhada ao longo destes anos?
Pelo fato de que o curso de formação de Bombeiro Civil serem considerados cursos livres segundo lei de diretrizes Básicas de ensino e com previsão constitucional. Algo que visa a facilitação ao acesso a capacitação profissional de muitas pessoas, não exigindo escolaridade anterior para tal formação deixando desta forma, vulnerável a disseminação de informações inverídicas e contraditórias. Fato este, que atrasa o amadurecimento da atividade como categoria profissional realmente organizada e pronta para enfrentar os desafios que a profissão exige. 
Obs...: vale ressaltar que muitas vezes, a desinformação é utilizada de forma proposital como ferramenta de sustentação e manutenção de interesses individuais. 
É muito comum em vários locais do Brasil encontrarmos, Bombeiros Civis acreditando ingenuamente que é necessário, a obtenção de carteiras muitas delas sem oferecer nada! Ou, a necessidade do credenciamento obrigatório neste ou naquele lugar para legitimar o exercício de sua atividade profissional... Ou o que é pior ainda! Replicando informações equivocadas vindas de neófitos aventureiros e aproveitadores frequentadores desta tão nobre atividade. 
Analisando por este ângulo. Percebemos, o quanto é importante e necessário, o trabalho voltado à informação realizada de forma direta, sem vícios de direcionamento e principalmente, sem interesses individuais envolvidos. Algo que desenvolveria fortemente a atividade, agregaria em suas lutas e contribuiria para um futuro mais sustentável para toda a atividade pelo fato de todos os profissionais ou formandos conhecerem cada segmento, suas prerrogativas, transformando consideravelmente, a visão sobre a luta coletiva necessária pra o desenvolvimento da atividade econômica que escolheram na seu Estado, Município e no pais. 

Coluna Liberdade de Expressão 
Júlio Valêncio Jornalista: (Reg. profis. 19127 MTE/RS).

Nenhum comentário:

Postar um comentário