terça-feira, 7 de maio de 2019

Bombeiro Civil no Brasil: A Crítica pela Crítica.

Criticar é muito mais fácil do que fazer melhor. 

Trabalhar de forma institucional, com foco em planejamento, metas e resultados.
Muitas vezes, significa contrariar interesses pessoais, agir de forma justa e de encontro, somente entre o legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas principalmente entre o honesto e o desonesto. 
Mais ainda, defender os interesses da maioria, assim como a autonomia da instituição, saber discernir entre o certo e o errado, o conveniente, facilidades e seus prós e contras, diferenciar amizades pessoais em detrimento ao justo, ético o certo e o errado.
Nem sempre o entendimento sobre estes importantes tópicos no que diz respeito ao trabalho realizado por instituições sérias são assimilados da maneira como deveriam.
Contudo, sem estas diferenciações inexiste evolução, desenvolvimento e principalmente, respeito institucional talvez, o maior legado de uma entidade que se propõe a trabalhar para vir a ter o respeito necessário vinculado a suas demandas atendidas.
Dito isso, seria utópico e sobre tudo injusto, cobrar este entendimento de pessoas que nunca estiveram à frente de nada senão, de seus interesses! Muito menos, sabem o significado da palavra: " coletivo."
O entendimento sobre o que significa a palavra coletivo e individual vai muito além do ego ou interesse ferido.
Aliás, creio eu que quando se tem este tipo sentimento nunca fomos e nem nunca seremos seres realmente iluminados no plantio e colheita de coisas realmente boas e produtivas em qualquer área de atividade.
Surreal:
As redes sociais, muitas vezes de forma Generosa transforma hipócritas aproveitadores e individualistas em exímios sábios e profetas abordando temas sobre os quais nunca realizam, nunca participaram menos ainda, ajudaram em uma ou em qualquer construção. Transformando se em recrutadores de soldados do exército sem rumo da crítica pela crítica. 
Condutas dispensáveis, que interferem diretamente na formação, informação, e principalmente no futuro profissional de já atuantes ou novos profissionais da atividade. 
Talvez por estas falhas de conduta nos encontremos na situação atual onde o processo de mudanças mesmo com 10 anos de profissão aconteçam de maneira lesmal.
Para estes, a dica seria uma boa reflexão sobre condutas e atos algo que seria o caminho, para realização de algumas mudanças que talvez estejam adiando para realizar. 

Como diria Mestre Aparecido Cruz: 
“O pior Inimigo do Bombeiro Civil é o próprio Bombeiro Civil!” 

Forte abraço a todos e Juntos Somos Mais Fortes! 

Coluna Liberdade de expressão 
Jornalista: Júlio Valêncio (Reg. profis. 19127).

Nenhum comentário:

Postar um comentário